Praia Imbassaí

Praia do Forte – Bahia

Praia do Forte é uma vila de pescadores no litoral norte da Bahia, pertinho de Salvador, que apesar do clima rústico, oferece ótima infraestrutura para os visitantes. O destino é muito procurado por causa de suas praias de águas águas quentinhas e pelo litoral cheio de piscinas naturais.

Confira o que fazer em Praia do Forte e use esse guia com muitas dicas e informações cruciais para planejar sua viagem do início ao fim. Conheça as praias, a melhor região para se hospedar, as demais atrações e passeios, como chegar e tudo que você precisa saber.

Vamos nessa?!

Vila de Praia do Forte, Bahia: turismo e quando ir

O antigo vilarejo de Praia do Forte é distrito do município de Mata de São João, litoral norte da Bahia, onde começa a Costa dos Coqueiros. Hoje é procuradíssimo por quem visita o estado. Portanto, vale a pena evitar os finais de semana, quando o destino fica muito cheio por conta da proximidade com a capital.

A vila é um exemplo perfeito de lugar que conseguiu desenvolver a infraestrutura para os visitantes sem perder a essência local.

Quando ir

Apesar de ter dias quentes o ano todo, a melhor época para visitar Praia do Forte é fora do período de férias, entre agosto e novembro; e entre março e junho – esse último período pode ter mais chuvas, mas não costuma atrapalhar.

É um dos destinos mais bonitos da Linha Verde – estrada que liga a Bahia ao Sergipe – e a vila conta com 14 quilômetros de praias cercadas por areias claras e águas cristalinas, com temperatura amena durante o ano todo.

E quantos dias ficar?

Recomendo pelo menos 3 dias. Confira a sugestão de roteiro.

Roteiro em Praia do Forte, Bahia:

  • Dia 1: piscinas naturais da praia do Lord + praia do Chapéu de manhã | praia do Portinho à tarde
  • Dia 2: Projeto Tamar + Instituto Baleia Jubarte de manhã | praia Barra de Pojuca à tarde
  • Dia 3: Castelo Garcia D’Ávila de manhã | Praia do Portinho de Baixo, com fim de tarde de caminhada na praia Papa Gente
  • Se tiver mais dias…
  • Dia 4: observação da baleia Jubarte (se sua viagem for entre junho e novembro – corte o IBJ do dia 2)
  • Dia 5:  Parque Klaus Peters ou piscinas naturais de manhã | praia Imbassaí de tarde

O que fazer em Praia do Forte: praias e pontos turísticos

Praia do Forte tem cinco praias, além de atrações históricas e culturais, e espaços de preservação da vida marinha.

# Praias e piscinas naturais:

São cinco principais praias, cada uma com suas características. O destaque são as piscinas naturais, que se espalham por boa parte da orla central e são bem acessíveis.

Comparando com outros destinos semelhantes:

Eu diria que as piscinas naturais de Porto de Galinhas são mais bonitas, mas menores. A vantagem das piscinas naturais de Praia do Forte é que são mais amplas, e em uma faixa muito mais extensa de litoral, então não há limite de visitação.

Pontos turísticos de Praia de Forte:

# Projeto Tamar

Uma atração que me surpreendeu bastante em Praia do Forte: pensei que ia ficar lá no máximo uma hora, mas não conseguia ir embora. Tem muita informação, muito conteúdo interessante sobre preservação ambiental. Por exemplo, sabia que apenas uma em cada mil tartarugas marinhas chegam a vida adulta?

Sem falar que os tanques com as diferentes espécies de tartarugas e outros animais marinhos são muito legais.
O projeto fica na beira da praia, perto da Praça de São Francisco. Tem loja, restaurante e a dica é conferir na entrada quais são as atividades do dia. Vai que você tem a chance de vê-los alimentando um tubarão?

# Castelo Garcia D’Avilla

Não dá para avistar o castelo da vila, mas o visual da colina Tatuapara, onde estão as ruínas, é lindo. Dá para ver o mar e tudo. Se puder, vá por volta das 15h30, para pegar aquela cor bonita de fim de tarde.

O castelo foi a primeira edificação do Brasil, construído entre 1551 e 1624, e é a única construção medieval das Américas. Mesmo em ruínas, dá para ter uma boa noção da sua grandiosidade, de costumes da época e tudo mais. Ainda tem uma capela e uma gigantesca árvore gameleira (a árvore sagrada dos negros africanos escravizados no Brasil, a mesma que vimos no Quilombo dos Palmares).

Há guias disponíveis para uma visita guiada gratuita e vale a pena contar com um. O local tem estacionamento, um centro de visitantes com loja, pequena lanchonete e banheiros, e a visita leva no máximo uma hora.

# Instituo Baleia Jubarte

Outra atração relacionada à preservação ambiental, agora, com foco em um animal marinho bem maior.

O tour guiado de cerca de 40 minutos conta detalhes do comportamento das baleias, história da presença delas no Brasil e tem até representações em tamanho real de esqueletos.

# Parque Klaus Peters

Essa atração de Praia do Forte é para quem gosta de conhecer espécies da flora e fauna local. O Parque Natural Municipal da Restinga de Praia do Forte, ou Parque Klaus Peters, fica bem ao lado do Instituto Baleia Jubarte.

Ele tem entrada gratuita e uma trilha de bloquete com 3,6 km, com placas indicando as diversas espécies. Eu adorei ver um cajueiro gigantesco de perto! Com sorte, você verá uma das mais de 180 espécies de aves.

Por causa do calor, visite bem cedinho ou no fim da tarde, porque o caminho é o tempo todo debaixo do sol.

# Centrinho da vila de Praia do Forte

Passear na vila, conhecer os restaurantes, o centro de artesanato e a Igrejinha de São Francisco de Assis são atividades imperdíveis em Praia do forte

A vila de Praia do Forte mistura a autenticidade dos pescadores locais com a sofisticação dos restaurantes e pousadas renomadas nas mesmas ruas. Ao lado da Igrejinha de São Francisco está a colônia de pescadores.

Durante a noite, as ruas ficam cheias, as lojinhas de artesanato fecham tarde e tem muita coisa bacana para admirar ou levar para casa. Os bares e restaurantes são bem ecléticos e vão desde a cozinha local, passando por pizzarias, lanchonetes, até as opções de cozinhas internacionais, como japonesa, italiana e mexicana.

E por falar nisso, aqui vão algumas dicas de onde comer e o que comer em Praia do Forte:

Restaurantes em Praia do Forte

Eu recomendo as cocadas da Casa de Farinha, no meio da Alameda do Sol, um quiosque que é projeto social e que também faz tapioca na hora. As cocadas recheadas da barraquinha que fica logo na entrada do Projeto Tamar também são divinas.

Um lugar imperdível para quem ama risotos como eu é a Risoteria Terra Brasil, e para uma moqueca baiana sensacional, vá ao Porto Forte Restaurante. No Bar do Souza, um espaço muito amplo, que atrai muita gente e tem música ao vivo, eu provei a famosa lambreta e a caipirinha de jerimum.

O point mais badalado é a pizzaria 7 Pizzas. Na praia do Portinho de Baixo eu recomendo a lagosta grelhada do Point do Folha, e em qualquer uma das praias, não deixe de beliscar a porção de bolinho de peixe, e a porção de peixe pititinga frito, que são sensacionais.

Passeios locais

# Buggy ou quadriciclo

Esses passeios só valem a pena para quem está em grupo e sem carro, pois os lugares são acessíveis.

Os tours são oferecidos pelas agências da cidade, com algumas opções pré-programadas de roteiros como o ‘Reserva Sapiranga + Castelo Garcia D’Ávila – 2 horas de duração’ e o ‘Praias do Litoral Norte e Sul – 4 horas’.


# Praias vizinhas

Dois lugares próximos de Praia do Forte que valem muito a pena visitar são Imbassaí e Barra de Pojuca, em Camaçari. Ambas estão a 10 quilômetros de distância, têm fácil acesso de carro ou de van da Linha Branca. As vans param na entrada da cidade e é possível caminhar cerca de 15 minutos até a praia, ou pegar um moto táxi. Uber e táxi também são ótimas opções, mas se você estiver de carro alugado, é só seguir o GPS.

Fique para ver o pôr do sol em Imbassaí, onde o rio de mesmo nome encontra com o mar criando um cenário muito bonito. Em Barra de Pojuca também vale a pena ficar até o pôr do sol, e saiba que em ambos os lugares dá para nadar tanto no mar quanto no rio.

# Reserva Sapiranga

Como eu não tinha intenção de fazer passeio de buggy, logo, não conheci esse lugar. Algumas pessoas me falaram que não seria seguro ir lá sozinha atualmente.

Como circular na vila e nas atrações:

Estando hospedado no centro da vila, a circulação por ela pode ser a pé, até porque as ruas principais são fechadas para veículos.

Também é possível caminhar até as praias, ou chegar de carro próprio, táxi e Tuk-Tuk, muito comum por lá. Os pontos de táxi e Tuk-Tuk ficam perto da Lagoa Timeantube, no comecinho da vila, mas você também encontra os Tuk-Tuks pelas ruas fechadas.

Como as viagens de Uber entre Salvador e Praia do Forte são muito comuns, não é difícil encontrar motoristas disponíveis na vila. Eu mesma consegui me deslocar para vários lugares de Uber, com preço que compensava.

Outra possibilidade são as vans da Linha Branca, cujo ponto também fica nas margens da Lagoa Timeantube. Eu fui de Praia do Forte para Imbassaí de van, custou apenas R$3 e foi bem rápido. Ainda dá para chegar de van são Guarajuba, Itacimirim, Mangue Seco, Sauípe e outras.

Dicas para quem vai visitar Praia do Forte:

  1. Existem pelo menos 3 mercados no centro da vila.
  2. Em frente aos pontos de táxis e Tuk-Tuk há alguns caixas eletrônicos do Bradesco, do Banco do Brasil, e caixas 24 horas.
  3. Os atrativos, os táxis, restaurantes e até algumas barracas de praia aceitam cartão de crédito.

Galeria de Fotos

Fonte: Vida Sem Paredes

Check Also

Praia do Português – Ubatuba/SP

A Praia do Português, também conhecida como Prainha do Félix, muitas vezes passa despercebida pelos …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.